PRODUÇÃO TÊXTIL E DE VESTUÁRIO NO MÉDIO VALE DO ITAJAÍ (SC) PERANTE OS DESAFIOS DA COVID-19

Autores

DOI:

https://doi.org/10.54805/RCE.2527-1180.v7.n1.142
Abstract views: 39 / PDF downloads: 25

Palavras-chave:

Covid-19, Médio Vale do Itajaí, Atividades têxteis e do vestuário

Resumo

A pandemia da Covid-19 forçou governos a adotar medidas rigorosas para conter o vírus, como interrupções duradouras de atividades. Em sistema de produção globalizada que evoca uma engrenagem com peças articuladas, essas medidas tiveram importantes consequências na economia mundial, afetando diversos setores em diferentes lugares. Este estudo focaliza os efeitos dessa conjuntura em atividades de produção têxtil e de vestuário no Médio Vale do Itajaí (MVI), incluindo a maneira como empresas reagiram às adversidades. Pesquisa bibliográfica e documental e, principalmente, pesquisa direta por meio de entrevistas embasaram o trabalho. A pesquisa direta logrou levantar dados e informações junto a sete empresas associadas ao Sindicato das Indústrias de Fiação, Tecelagem e do Vestuário de Blumenau (SINTEX), embora o questionário eletrônico fosse disponibilizado para todas. O trabalho mostra que atividades têxteis e vestuaristas locais foram bastante atingidas, impondo dificuldades em termos de comercialização e de importação de insumos e matérias-primas, em linha com o observado em diferentes experiências no Brasil e no exterior. As reações das empresas abrangeram mudanças nos seus processos de comercialização, com avanço na digitalização e nas relações com clientes, e tentativas de redesenhar linhas de suprimentos, explorando possibilidades nacionais e estrangeiras quanto a fornecedores e novos produtos. Uma escassa “projeção” regional nesses termos foi informada, embora o MVI abrigue um importante e histórico cluster têxtil-vestuarista. Também rarefeitas foram as interações locais indicadas, quer interempresariais ou entre empresas e instituições, sobre tentativas para encaminhar o enfrentamento dos problemas criados ou agravados pela pandemia.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BAIR, J.; GEREFFI, G. Local clusters in global chains: the causes and consequences of export dynamism in Torreon's blue jeans industry. World Development, v. 29, n. 11, p. 1885-1903, 2001.

BRIGATTI, F. Produção industrial substitui importações durante a pandemia. Folha de S. Paulo, p. A13, 2 abr. 2021.

CARIO, S. A. F.; SEABRA, F.; CARVALHO JUNIOR, L. C. de et al. Indústria e arranjos produtivos locais em Santa Catarina: avaliação e política de desenvolvimento para setores tradicionais. Florianópolis: Nova Letra, 2013.

CATTANEO, O.; GEREFFI, G.; STARITZ, C. (eds.). Global value chains in a postcrisis world: a development perspective. Washington, D.C.: The World Bank, 2010.

DI MARIA, E.; DE MARCHI, V.; GEREFFI, G. Local clusters and global value chains. In: PONTE, S.; GEREFFI, G.; RAJ-REICHERT, G. (ed.). Handbook on global value chain. Cheltenham: Edward Elgar, 2019, p. 403-416.

DINIZ, P. A reinvenção da loja. Folha de S. Paulo, p. 1 e 4, 7 ago. 2021. (Seminários Folha: O futuro do varejo e o varejo do futuro).

EMPRESA tem pé na Europa. Folha de S. Paulo, 23 jun. 1996. (Mercado). Disponível em: https://www1.folha.uol.com.br/fsp/1996/6/23/dinheiro/27.html Acesso em: 01 jun. 2022.

FIESC – Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina. Programa Travessia SC: mobilizar, reinventar e transformar. Florianópolis: FIESC, 2020a.

FIESC – Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina. Sondagem especial: preço dos insumos. Florianópolis: Observatório FIESC, 26 out. 2020b. Disponível em: https://url.gratis/kNX9Bb Acesso em: 28/06/2021.

FIESC – Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina. Observatório da Indústria Catarinense, 2021a. Disponível em: https://www.observatoriofiesc.com.br/textil-confeccao Acesso em: 10 out. 2022.

FIESC – Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina. Relatório Anual 2020. Florianópolis: FIESC, 2021b.

FIESC – Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina Balança comercial. Florianópolis: Observatório FIESC, out. 2021c. Disponível em: https://observatorio.fiesc.com.br/index.php/publicacoes/economia/comex-set2021 Acesso em: 6 maio 2022.

FIESC – Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina Balança comercial. Florianópolis: Observatório FIESC, abr. 2022. Disponível em: https://observatorio.fiesc.com.br/index.php/publicacoes/economia/santa-catarina-encerra-primeiro-trimestre-com-recorde-de-exportacoes-e-importacoes Acesso em: 6 maio 2022.

FILLETI, J. de P.; BOLDRIN, R. A indústria têxtil no Brasil: um modelo econométrico analisando a hipótese de desindustrialização sectorial. Economia e Sociedade, v. 29, n. 3(70), p. 861-890, 2020.

GEREFFFI, G.; LIM, H.-C.; LEE, J. Trade policies, firm strategies, and adaptative reconfigurations of global value chains. Journal of International Business Policy, p. 1-17, March 2021.

GEHRKE, G. A.; LINS, H. N.; BORBA, J. A. Hering, from a global production network player to a regional retail leader. In: TULDER, R. van; VERBEKE, A.; CARNEIRO, J.; GONZALEZ-PEREZ, M. A. (ed.). The challenge of BRIC multinationals. Bingley: Emerald, 2017, p. 295-315.

HERING, M. L. R. Colonização e indústria no Vale do Itajaí: o modelo catarinense de desenvolvimento. Blumenau: Editora da FURB, 1987.

ILO – International Labour Organization. The supply chain ripple effect: how COVID-19 is affecting garment workers and factories in Asia and the Pacific. Bangkok: ILO Regional Office for Asia and the Pacific, October 2020.

JURGENFELD, V.; LINS, H. N. A projeção asiática da indústria têxtil e vestuarista catarinense nos anos 2000: estudo sobre três experiências no Vale do Itajaí. Textos de Economia, v. 13, n. 2, p. 11-34, 2010.

LINS, H. N. Clusters industriais, competitividade e desenvolvimento regional: da experiência à necessidade de promoção. Estudos Econômicos, v. 30, n. 2, p. 233-265, 2000.

LINS, H. N. Clusters Industriais: uma experiência no Brasil Meridional. Revista de Economia, Curitiba, v. 27, n. 1 (25), p. 79-101, 2001a.

LINS, H. N. Cooperativas de trabalhadores: opção frente à crise do emprego ou aspecto da crescente precariedade do trabalho? Nova Economia, v. 11, n. 1, p. 39-75, 2001b.

LINS, H. N. Les entreprises du complexe textile-habillement dans um cluster brésilien: la régio de Blumenau dans le tourbillon des changements. In: FAURÉ, Y.-A.; KENNEDY, L.; LABAZÉE, P. (dir.). Productions locales et marché mondial dans les paýs émergents: Brésil, Inde, Mexique. Paris: IDR Éditions; Karthala, 2005, p. 31-57.

LINS. H. N. Reestruturação produtiva e reconfiguração espacial da indústria do vestuário em Santa Catarina: contextualização do tema e indícios sobre o começo do século XXI. Revista Catarinense de Economia, v. 2 n. 2, p. 5-31, 2018.

LINS, H. N. Produção industrial sob a Covid-19 e as consequências da internacionalização produtiva: visão geral e apontamentos sobre o Brasil e Santa Catarina. Revista Catarinense de Economia, v. 4, n. 1, p. 50-75, 2020.

LOMBARDI, L. Industria têxtil de Blumenau: consolidação, crise e reestruturação. 2001. 201 fls. Dissertação (Mestrado em Economia) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2001.

MAHIDHARA, R. O desmonte da globalização. Folha de S. Paulo, p. A3, 3 abr. 2022.

MAMIGONIAN, A. Estudo geográfico das indústrias de Blumenau. Revista Brasileira de Geografia, v. 27, n. 3, p. 389-481, 1965.

RAIS – Relação Anual de Informações Sociais. Disponível em: http://pdet.mte.gov.br/acesso-online-as-bases-de-dados Acesso em: 24 abr. 2023

SEABRA, F.; AMAL, M. Inserção internacional de uma economia regionalizada: avanços e limitações para o caso catarinense. In: MATTEI, L.; LINS, H. N. (org.). A socioeconomia catarinense: cenários e perspectivas no início do século XXI. Chapecó: Argos, 2010, p. 247-280.

SEYFERTH, G. A colonização alemã no Vale do Itajaí-Mirim: um estudo de desenvolvimento econômico. Porto Alegre: Movimento, 1974.

SOHN, A. P. L. Aprendizagem interorganizacional: análise de canais de transmissão de conhecimento em clusters têxteis e de vestuário no Brasil e na Europa. 2015. 201 fls. Tese (Doutorado em Engenharia de Produção) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2015.

THEIS, I. M.; GARCIA, M. C.F.S. Reestruturação regional, competitividade global: o complexo têxtil de Blumenau no contexto do capitalismo neoliberal globalizado. Pampa, v. 3, p. 9-26, 2007.

Downloads

Publicado

2024-02-24

Como Citar

Lins, H. N., & Kleinubing, P. L. (2024). PRODUÇÃO TÊXTIL E DE VESTUÁRIO NO MÉDIO VALE DO ITAJAÍ (SC) PERANTE OS DESAFIOS DA COVID-19. Revista Catarinense De Economia, 7(1), 45–59. https://doi.org/10.54805/RCE.2527-1180.v7.n1.142

Artigos Semelhantes

1 2 3 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.